Tesouro misterioso é encontrado na praia de São Paulo

A prefeitura de Guarujá, na orla paulista, efetuou no dia11/09, na Praia do Tombo, a remoção de um soterrado artefato de madeira e ferro. O barril com aspecto antigo havia sido localizado com partes enterradas por banhistas no domingo (10), eles ainda adulteraram o objeto.

Grupos especialistas isolaram o local com bambu, pois suspeitavam que o barril tinha um valor histórico, que pode ter sido proveniente de um naufrágio que ocorreu na costa da cidade paulista no passado.

O secretario do meio ambiente explicou que quando chegaram ao local, eles logo peceberam que o barril tinha sido vandalizado. Eles tinham resolvido a principio isolar a área, mas acabaram retirando ele completamente. Assim que a prefeitura demarcou o espaço, eles aguardaram instruções de como deveriam proceder, concedida pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), para que assim pudessem iniciar os estudos. “Vamos retirar o barril por inteiro e guardá-lo em um local seguro, para que possa ser estudado, após autorização oficial”.

Marília Oliveira Calazans, além de professora de História é experiente em arqueologia, foi até a praia e animou-se com o possível achado que pode ser proveniente de algum navio afundado há muito tempo. Ela afirmou que estava diante de um possível objeto histórico.

Segundo a arqueóloga, não é possível descobrir agora a sua origem. A especialista explicou que eles não sabem onde esse naufrágio pode ter ocorrido ou nem se podem existir outros objetos como esse nas imediações. Ela acredita que possivelmente exista algum registro oficial. Ela disse que sabem apenas que se trata de um barril de madeira rodeado por um circulo de ferro que mantem a estrutura firme. Marilia ressaltou que apesar das incertezas é uma descoberta gratificante, como uma mensagem do passado.

Navio centenário

Os restos de um barco bem antigo, com extensão que supera 45 metros de comprimento, foram encontrados nas areias da praia do Embaré, no dia 22. Com a redução da areia foi possível ver um pedaço da embarcação. De acordo com os pesquisadores, pode ser de um veleiro naufragado na costa há cerca de 1 século.