Diferentes histórias por trás do hábito de colecionar

Um dos hobbies mais legais que o ser humano já inventou é o hobby de organizar coleções. Quem é que nunca teve vontade de adquirir diferentes modelos de um objeto que sempre desejou e estimou? E quem é que nunca começou a colecionar algo por puro modismo e logo o abandonou?

Há coleções que começam ainda quando crianças e continuam por longos anos, e em alguns casos acabam passando de geração para geração, sendo que por detrás do hábito de colecionar podemos encontrar belas memórias afetivas e incríveis histórias.

Coleções de papéis de carta, de álbuns de figurinhas, de carrinhos, de bichinhos de pelúcia, de bonecas e de moedas já estiveram na lista de coleções mais populares, e com certeza já figuraram como as preferidas de muita gente.

Mas se por um lado há as coleções populares e baratas, por outro também existe as coleções exclusivas e milionárias, que geralmente fazem parte do acervo de pessoas privilegiadas.

Nesse grupo se enquadram as obras de arte produzidas por artistas consagrados, os bens de luxos como os automotivos conversíveis e as jóias super caras.

Há também algumas coleções que até causam espanto ou surpresa, como por exemplo a coleção bizarra de chicletes mascados e a inacreditável coleção de cocô fossilizado.

Outra coisa interessante que as coleções podem proporcionar para quem é detentor de um determinado de acervo, são os ganhos e lucros financeiros.

Isso acontece muito com quem mantém ou manteve relações próximas com pessoas da área do entretenimento, já que hoje em dia é comum peças e objetos póstumos de um grande artista serem comparadas a verdadeiras relíquias.

É por isso que frequentemente são notificadas nos meios de comunicação que a exposição dos objetos de tal artista conseguiu ser enorme sucesso de público, ou então que o leilão com os objetos pessoais de uma estrela da música ou do cinema superou todas as expectativas.