Salário mínimo reajustado está abaixo da atual inflação no país

Foi anunciado pelo governo em dezembro de 2017 um aumento no salário mínimo no início de 2018, elevando o salário para R$ 954, reajuste equivalente a 1,81%, sendo o menor em 24 anos. Segundo o INPC – Índice Nacional de Preços ao Consumidor, revelado no dia 10 de janeiro de 2018, o valor reajustado do salário mínimo está abaixo da atual inflação, que encerrou 2017 em 2,07%.

De acordo com a legislação em vigor, esse reajuste do salário mínimo deverá ser com base na variação observada junto ao INPC dos últimos 12 meses, e que tem o objetivo principal de assegurar o poder de compra dos cidadão brasileiros. Desta maneira, esse valor indicado acaba sendo essencial para que o poder de compra dos brasileiros fosse de no mínimo R$ 956,40.

A legislação também enfatiza uma real valorização do atual salário mínimo, sendo que ele deve estar sempre acima da inflação. Em relação a isso, os reajustes são voltados para uma base de cálculos que levam em conta o crescimento do PIB – Produto Interno Bruto – de dois anos antes do reajuste realizado. Ou seja, no caso deste último reajuste, a base de cálculo foi de acordo com o PIB de 2016, porém, o PIB daquele ano teve uma retração de 3,5% mediante a crise enfrentada pelo país nos últimos anos. Os especialistas esqueceram de levar isso em consideração.

O salário mínimo tem o poder de definir o piso atual em que se encontra o mercado formal, e também determina as questões que envolvem a aposentadoria e o seguro-desemprego, benefícios essenciais com garantias constitucionais. O INPC leva em conta as rendas familiares que estão entre 1 e 5 salários mínimos. Para tomar essa decisão de reajuste, o governo buscou o INPC do mês de janeiro a novembro de 2017, que esteve em 1,81% durante este período. De acordo com isso, foi estimado um avanço em zero no final do ano passado, sendo assim, o índice não entrou como base para o atual reajuste.

Por esse motivo, a legislação determina que o diferencial para o reajuste seja compensado no reajuste logo em seguida. Mesmo sendo definido assim, não será feita a devolução do valor que não foi debitado ao decorrer do ano anterior. Isso significa que a diferença de 0,26% deverá ser aplicada ao reajuste de 2019, porém, os R$ 28,80 que deixarão de ser agregados ao pagamento no reajuste que ocorreu este ano, serão ressarcidos no próximo reajuste. Essa legislação que determina as atuais bases de cálculos para o reajuste do salário mínimo irão expirar em 2019.

Preço do material escolar em São Paulo pode variar em até 260%

De acordo com uma nova pesquisa feita em dezembro de 2017 pela Fundação Procon-SP em São Paulo, a variação do preço dos itens que compõem a lista de material escolar chega a ser de até 260% em relação a um único produto. Ou seja, um único item pode apresentar essa variação de preço quando pesquisado em diferentes lojas na capital de São Paulo. Um exemplo disso é a caneta esferográfica produzida pela marca Faber Castell, que custa de R$ 1,75 a R$ 6,30 nas diferentes lojas da capital paulista.

A pesquisa feita a partir dos itens de material escolar foi realizada nos dias 7 e 11 do mês de dezembro do ano passado. Para isso, o levantamento realizado contou com a participação de nove lojas situadas na cidade de São Paulo. Dentre os itens pesquisados para o levantamento, a fundação explicou que foram pesquisados os preços dos seguintes itens: caderno, borracha, lápis preto e colorido, apontador, caneta esferográfica e hidrográfica, fita corretiva, cola líquida e em bastão, lapiseira, giz de cera, marca texto, papel sulfite, pintura a dedo, massa de modelar, régua, tesoura escolar e refil para fichário.

Já em uma comparação com a edição passada da mesma pesquisa, os preços dos itens de material escolar subiram 9,25% em dezembro de 2017. Além disso, o IPC-SP – Índice de Preços ao Consumidor de São Paulo, feito pela Fipe, revelou que em uma comparação com a edição anterior da pesquisa houve uma variação de 2,45% em relação aos resultados.

Sendo assim, a recomendação feita pelo Procon-SP para os paulistanos e demais brasileiros, é de que os pais devem pesquisar bastante antes de comprar qualquer item da lista, por mais barato que pareça ser, há uma grande variação nos preços quando o item é pesquisado em diferentes estabelecimentos. Além disso, o Procon-SP ainda aconselha que os pais procurem pelos itens que podem ser reaproveitados do ano anterior, como os lápis que sobraram, canetas que funcionam, entre outros.

Uma outra dica na hora de adquirir esses itens é perguntar para o estabelecimento sobre as condições de pagamento, pois para os pagamentos à vista é possível conseguir um desconto. No caso das compras coletivas, os descontos são ainda maiores, o que pode ser uma boa saída para quem quer economizar com o material escolar neste ano.

 

Enem 2017 tem cronograma para resultado da prova e inscrições no SISU

Quem realizou a prova do Enem em 2017 – Exame Nacional do Ensino Médio, está ansioso para ver as notas divulgadas, assim como a abertura das vagas dos cursos e das universidades pretendidas. Contudo, é importante se atentar ao calendário para não perder nenhum evento relacionado à prova que seja importante. Confira a seguir as datas mais importantes neste ano para quem fez o Enem em 2017:

A primeira grande data do calendário dos estudantes é o dia 19 de janeiro de 2018, data em que o resultado do Enem será divulgado pelo Inep – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. A partir desse resultado o estudante poderá se preparar para enfrentar a concorrência entre os programas do governo destinados aos estudantes que realizaram o Enem, sendo eles: Fies, SISU e ProUni. Além disso, o resultado do Enem ainda pode ser usado pelos estudantes no lugar de vestibulares de algumas universidades particulares.

Para ter acesso ao resultado do Enem 2017, o estudante precisará apenas acessar o Portal do Participante, aquele site em que o estudante realizou o cadastro e acompanhou o local da prova pela internet.

Dentre os programas oferecidos pelo governo, a maioria dos estudantes que realizam o Enem contam com a esperança de poder entrar em uma universidade através do SISU – Sistema de Seleção Unificada. Esse programa é responsável por reunir vagas das instituições públicas do país, sendo que neste ano o Inep divulgou que o programa oferecerá quase 240 mil vagas dentre as 130 instituições adeptas ao programa.

As vagas do SISU já podem ser consultadas pelos estudantes no site oficial, mas as inscrições serão abertas apenas no dia 29 de janeiro. Além disso, o programa apresenta um prazo de encerramento das inscrições que vai até o dia 1º de fevereiro. Já o resultado sai no dia seguinte ao término das inscrições, em 2 de fevereiro.

Embora os outros programas do governo ainda não tenham um cronograma fechado para 2018, o calendário oficial ainda não foi divulgado pelo Inep, os estudantes deverão estar atento às aberturas das inscrições do ProUni e do Fies, que ocorrerá logo após as inscrições do SISU.

 

Luiz Carlos Trabuco Cappi, líder do Bradesco, informa motivos para se reformar a previdência

Algumas razões para se dar início à reforma previdenciária no país foram o tema de uma entrevista concedida por Luiz Carlos Trabuco Cappi, presidente do Bradesco, à revista Valor. Conforme o executivo, trata-se de uma das mais necessárias reformas a que o Brasil deve se submeter nos próximos tempos. O processo de adequação da população aos possíveis novos ditames da previdência deve ser realizado a médio prazo, já que é imprescindível que outros segmentos estejam atuando em consonância com a nova realidade, pontua o líder da instituição bancária.

Embora acredite na urgência que a reforma em questão tem para o cenário nacional, Luiz Carlos Trabuco Cappi ressaltou na entrevista que o governo será capaz de escolher o momento mais indicado para a sua realização. Ele, no entanto, arrisca em dizer que talvez isso ocorra até mesmo antes de que o período eleitoral de 2018 seja iniciado. Realizada em 2017, a entrevista trouxe a consideração do executivo acerca da inviabilidade de se reformar a previdência ainda naquele ano, já que o líder do Bradesco considerava muito precipitada que uma reforma dessa dimensão entrasse em operação tão rapidamente.

Cenários além da própria previdência foram apontados pelo executivo como passíveis de serem prejudicados se a previdência não sofresse qualquer alteração em seus mecanismos de operação. Luiz Carlos Trabuco Cappi assinalou que a degeneração fiscal é um dos maiores temores por parte de gestores de instituições espalhadas pelo país. Além disso, o presidente da organização salientou que as pessoas mais jovens poderiam ter suas aposentadorias duramente comprometidas, algo que seria capaz de dar início até mesmo a uma espécie de conflito entre gerações diferentes.

Com o anúncio da reforma previdenciária, o executivo destacou que o segmento que cuida de instituições financeiras pôde perceber uma grande melhora no quadro de serviços procurados. Com destaque para os produtos ofertados pela rede bancária, houve uma crescente retomada de crédito no país. Tal comportamento dos consumidores, conforme esclarece o presidente da corporação, ocorre logo após haver o retorno da confiança sobre o setor. Estagnado há cerca de dois anos, o índice que calcula a contratação de capital de giro também sofreu aumento nos últimos meses, ressalta o gestor do banco.

Apesar da reforma da previdência ter movimentado positivamente a economia nacional, o executivo enfatiza que um outro acontecimento colaborou para o recente fortalecimento econômico do país. Luiz Carlos Trabuco Cappi refere-se à Agenda BC+, onde o Banco Central e o SFN (Sistema Financeiro Nacional) prestam contas à população de todas as atividades que irão realizar ao longo do ano. O objetivo da realização é cuidar para que a transparência das ações de tais instituições governamentais seja mantida, de forma que a iniciativa poderá ser benéfica ao país.

Apesar da saúde fiscal do Brasil mostrar-se um pouco instável em virtude da previsão de aumento de juros, expectativa esta que poderá ocorrer nos três próximos anos, o executivo explica que a economia poderá crescer futuramente. Luiz Carlos Trabuco Cappi aponta para uma melhora das condições de caráter econômico em face de um equilíbrio nas contas previdenciárias.

 

Projeto de lei quer proibir veículos a diesel a partir de 2025 em São Paulo

Com o intuito de diminuir a poluição atmosférica, o vereador do PT, Antonio Donato, sugeriu através de um projeto de lei a proibição da circulação de veículos que utilizam o diesel como combustível a partir do ano de 2025 dentro da cidade de São Paulo. O Projeto de Lei 643/2017 prevê que a circulação desses veículos seja proibida a partir de 2025 em toda a cidade de São Paulo, sendo o primeiro projeto lançado para proibir a circulação de um determinado veículo movido a combustível fóssil.

Além disso, o projeto de lei criado pelo vereador também prevê uma restrição da venda desse combustível a partir de 2020 como uma medida de diminuir a circulação desse tipo de veículo de uma forma gradativa. Essas medidas apontadas pelo vereador no projeto de lei tem como objetivo diminuir gradativamente a emissão de poluentes causados pelo diesel na cidade paulistana.

O projeto foi criado com embasamento em diversos estudos realizados na cidade de São Paulo, onde dados apontaram para a morte de até 4 mil pessoas anualmente na cidade paulistana em decorrência da poluição atmosférica.

Além dos estudos realizados na cidade de São Paulo, diversos outros estudos no mundo todo já comprovaram que milhões de pessoas morrem no mundo todos os anos em decorrência da poluição do ar, sem contar as mortes prematuras que são causadas por esse problema.

Embora as mortes sejam o pior registro sobre os efeitos causados pela poluição do ar, há ainda dados a serem considerados sobre o aumento de doenças em relação aos poluentes do ar. Dentre essas doenças estão as doenças respiratórias, que são as principais doenças causadas pelo ar poluído.

O vereador apontou que atualmente, as frotas de veículos que atuam na cidade de São Paulo são em grande maioria movidas a etanol e gasolina. Contudo, Donato ainda afirma em seu discurso a favor do projeto de lei que a circulação de veículos movidos a diesel na cidade é responsável por grande parte da poluição do ar na região.

Donato ainda explicou que a capital paulista é um importante intermediário de caminhões, que são movidos em grande maioria a diesel. Sem contar as frotas de ônibus da cidade, que são predominantemente movidos a diesel.

O projeto ainda deverá receber aprovação da Câmara dos Deputados para então ser sancionado pelo prefeito João Doria.

 

Leitores eletrônicos demonstram desempenho abaixo das expectativas

Quando foi lançado o e-reader parecia que iria substituir o livro físico, um dos maiores receios do ramo gráfico, no entanto, o desempenho dos leitores digitais não foram tão devastadores quanto se esperava, o livro em papel físico não foi deixado de lado e muito menos as suas vendas.

Há dez anos atrás o Kindle foi lançado pela Amazon, o aparelho prometia uma leitura digital mais agradável e mais portátil, o que iria garantir diferentes livros em um mesmo aparelho.

Apesar dos benefícios de um e-book, as vendas não demonstram uma perspectiva promissora, os e-readers não são tão presentes na leitura quanto o esperado. Desde o ano de 2007 foram mais de 131 milhões de aparelhos que foram comprados, depois do ápice de venda em 2011 houve uma queda gradual.

Se considerado o cenário nacional, os índices são muito baixos. Somente 76,2 mil e-readers foram comprados no ano de 2010, considerando que essa época está relacionada com o início das vendas. No melhor ano foram vendidas 16,2 mil unidades do dispositivo, em 2015. Estima-se que o número de aparelhos vendidos no Brasil em cinco anos seja menos de 10 mil.

Acompanhando a tendência, os e-books, livros virtuais que são a razão da existências dos e-readers, representam um número baixo das vendas das editoras no Brasil, em 2016 representaram 1,09% da receita. A quantidade total de e-books vendidos foram de 2,75 milhões em 2016, enquanto os livros de papel tiveram 39,4 milhões.

De acordo com o professor de Thiago Salla, o livro físico tem um atrativo maior que um e-book por ter qualidade mais relacionada a arte e aspectos que chamam a atenção pelos sentidos como tato e visão. Isso explica porque as expectativas em relação aos e-readers lançados no mercado como o Kindle, da Amazon, o Lev, da Saraiva e o Kobo da Rakuten não apresentaram os resultados esperados.

O custo de um e-reader não é barato, o que desestimula a compra dos aparelhos. Poucas pessoas querem pagar para ler em um dispositivo usado poucas vezes, o que acaba reduzindo o público-alvo, considerando que a média de leitura é quatro livros por ano no Brasil.

 

Golpe no WhatsApp usa o nome do Boticário

É preciso tomar cuidado com as mensagens atrativas nos aplicativos de mensagens. Dessa vez, a empresa Boticário foi usada para disseminar uma mensagem falsa e fraudulenta através de um aplicativo de mensagens amplamente utilizado.

Anteriormente outras tentativas de enganar os clientes da empresa aconteceram.O ataque mais recente tenta convidar as pessoas que recebem a mensagem para clicarem em um link de uma pesquisa para ganhar um lápis de olho da Boticário.

O golpe se torna muito eficiente porque se utiliza de uma ação genuína da empresa para convencer as vítimas, o que acaba trazendo mais pessoas para essa armadilha e causando um transtorno mais amplo. A campanha é uma promoção da Boticário que pede para as clientes darem uma dica de maquiagem para uma amiga, em troca seria recebido um lápis delineador para os olhos sem custo.

Na falsa promoção, a vítima é incentivada a clicar em um link para fazer parte de uma pesquisa porque foi escolhida para ganhar o lápis de olho depois de enviar as respostas.

Conforme analisou o laboratório de segurança, a mensagem se propagou para mais de 500 mil usuários que não foram pegos pelo golpe por utilizarem o aplicativo de segurança da empresa, que impediu que os celulares de seus clientes fossem infectados.

Na promoção do golpe, as mensagens são: “Você recomendaria O Boticário a um amigo ou membro da família?”, “Você já fez compras na O Boticário?”, e “Gosta dos produtos da O Boticário?”. Independente das respostas, o usuário recebia uma mensagem pedindo para compartilhar a promoção com 10 amigos no WhatsApp para finalmente ganhar o suposto prêmio.

Depois que o usuário executa as instruções, ele é levado para uma página que irá solicitar o cadastro em serviços de SMS pagos e que efetuam cobranças indevidas. Quando não é levado para essa página, é pedido para o usuário baixar aplicativos no celular que podem ser prejudiciais, artifícios usados no golpe.

É importante que qualquer mensagem recebida de promoção ou pedindo alguma informação não sejam respondidas ou que não tenham os seus links clicados, da mesma maneira, não compartilhar as mensagens é uma ótima maneira de impedir a propagação dos golpes.

Impressão 3D salva vida de tartaruga marinha nos Estados Unidos

De acordo com os cientistas do Aquário Birch, de responsabilidade da Scripps Institution of Oceanography, eles foram os criadores do primeiro tipo de suporte de impressora 3D do mundo, desenvolvido especificamente para casco de tartaruga marinha, que demonstrou ótimos resultados até agora.

Uma impressão 3D já foi realizada em uma tartaruga, que passou a responder muito bem ao material utilizado no preenchimento de seu casco. A tartaruga estava com o casco danificado e presa em um canal de resfriamento utilizado por usinas em Nova Jersey, localizada nos Estados Unidos. Esse fato ocorreu no ano de 2013 e naquela época, a tartaruga pesava 34 kg. Desde então, ela foi recolhida e recebeu cuidados dos funcionários do aquário.

“Ela foi encontrada com uma grande lacuna na parte inferior direita de seu casco. Ela também tem uma curva anormal da coluna vertebral e paralisia de suas nadadeiras traseiras. Até agora não sabemos o que causou essa fratura, mas provavelmente foi devido à algum trauma quando a tartaruga ainda estava na natureza”, explica a diretora de questões de marketing do aquário, Beth Chee.

Mesmo após a tartaruga ter recebido os devidos cuidados pelos veterinários e outros especialistas do aquário que a resgatou, ela não teria chance de voltar para a natureza caso fosse introduzida novamente. Um outro aquário, o Aquário Birch, localizada na cidade de San Diego, nos Estados Unidos, se ofereceu para cuidar permanentemente da tartaruga. Esse assunto foi motivo de uma campanha de arrecadação de fundo para ajudar a tartaruga ferida, e conseguiu arrecadar US$ 50 mil para ser usado em seus cuidados.

A tartaruga passou a viver nas instalações do aquário em San Diego, mas houve complicações ao longo de seu crescimento:

“Esse crescimento realmente exacerbou sua condição. Sem a nossa intervenção, a tartaruga marinha poderia ter complicações gastrointestinais e no sistemas urogenitais. Nós nos juntamos com o Laboratório de Mídia Digital da Geisel Library da UC, localizado em San Diego, para criar uma armadura que evite que o casco se curve mais para baixo, permitindo um crescimento mais normal. É nosso objetivo prevenir outras complicações e mantê-la saudável e feliz dentro do possível,” explica o diretor sênior de cuidados com animais, ciência e conservação para o aquário, Jenn Nero Moffatt.

A tartaruga acabou sendo uma inspiração para receber o suporte oferecido pela impressora 3D. Esse suporte acabou oferecendo mais qualidade de vida para a tartaruga marinha.

“Nosso time de criação conversou com engenheiros, especialistas veterinários e especialistas em vários campos desde a chegada da tartaruga, em novembro de 2014, tentando encontrar uma solução que ajudaria”, disse Beth.

O material utilizado na impressão é um tipo de plástico rígido branco que foi projetado para adaptar-se de forma extremamente precisa no casco da tartaruga. A tartaruga pode atingir 113 kg e uma nova impressão terá que ser feita para se encaixar perfeitamente em seu casco.

Atualização do processo de inspeção veicular é publicada pelo Denatran

A regulamentação do processo de inspeção veicular, foi publicada pelo Conselho Nacional de Trânsito do Ministério das Cidades. O artigo 104 da lei 9.503-97 estabelece as forças e condições da introdução e operação do Programa de Inspeção Técnica Veicular. Os órgãos executivos de trânsito dos estados e do Distrito Federal, segundo o documento, tem até dia 31 de dezembro de 2019 para fazer a implantação do programa em suas áreas de circulação. Evitar acidentes devido a falta de manutenção do veículo é um dos principais objetivos do programa.

A definição é que a Inspeção Técnica Veicular, agora seja realizada a cada dois anos nos veículos, com cronogramas que terão definições por parte do Departamento de Trânsito, o Denatran, de cada ente federativo. A Inspeção terá pré-requisitos no licenciamento realizado anualmente.

Os veículos zero quilômetro com até sete lugares, e que não tenham sofrido acidente com danos de médio a grande porte, que terão a sua inspeção três anos após o emplacamento serão isentos. Para os veículos que transportam cargas e passageiros, o prazo será reduzido dependendo da finalidade do veículo.

O certificado de Inspeção Técnica Veicular terá validade de dois anos e de dois licenciamentos.

A inspeção poderá ser realizada por órgãos executivos de trânsito ou por pessoa jurídica de direitos públicos, com credenciamento prévio. O Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia, o Inmetro, deverá aprovar os equipamentos e instrumentos que são necessários para realização da inspeção.

A inspeção ambiental para controlar a emissão de gases poluentes e ruídos também será uma novidade, em parceria com a inspeção veicular tradicional. O Detran de cada estado e do Distrito Federal, ficará responsável na realização das inspeções que podem ser tanto presencial quanto remota, sem aviso prévio, por sistemas informatizados e de monitoramento de inspeções.

O Roadmap é um cronograma para as indústrias se prepararem em relação aos ítens de segurança que serão obrigatórios e darão as empresas possibilidades e seguranças jurídica, também foi regulamentado pelo Contran. Os prazos para regulamentação e estudos é dados meses depois da publicação, e se a viabilidade for comprovada o Conselho Nacional de Trânsito discutirá o cronograma.

 

Com bons resultados industria têxtil registra crescimento de 3,5% nesse ano

Em 2017 a indústria têxtil deve encerrar o ano em alta na produção de vestuário de 3,5%, e chegando a uma quantia de 5,9 bilhões de peças. A produção têxtil também deverá mostrar crescimento que chega a 4,2%, um total de 1,77 milhão de tonelada de tecido. O varejo de vestuário, segundo informações da Associação Brasileira de Indústria Têxtil, com o total de 6,71 bilhões de peças vendidas, sendo esse um valor 6,5% maior do que no ano passado. O faturamento do ano passado foi de R$ 137 bilhões, e neste ano, o valor promete chegar em R$ 144 bilhões.

Os investimentos no setor neste ano chegaram a R$ 1,9 milhão, segundo a entidade, gerando 3,5 mil postos de trabalho com um total de 1,48 milhão de pessoas trabalhando no setor.

Ainda esse ano as exportações devem encerrar o ano com 190 mil toneladas, sendo esse um valor 5% menor que no ano passado, porém se consideramos o faturamento, o mercado externo teve crescimento de 1 bilhão de dólares. As importações tiveram aumento na quantidade de 22% e nos valores de 21%, que representa 5,1 bilhões de dólares. As importações de vestuário tiveram um crescimento de 62% chegando a 920 milhões de peças que geraram 1,71 bilhão de dólares.

As expectativas da Associação para o ano que vem é um crescimento de 2,5% em relação a produção de vestuário, 4% na produção têxtil e 5% em relação ao varejo de vestuário. As estimativas da instituição é que o varejo chegue a faturar R$ 152 bilhões com investimentos de R$ 2,25 milhões.

Também existe a perspectiva da geração de 20 mil postos de trabalho no setor para o ano que vem e nas exportações um aumento de 5% tanto em valores quanto em quantidade. Quanto às importações, o percentual deve crescer 10% nos valores e 12% nas quantidades, e na parte de vestuário a espera é de que haja crescimento de 15% nos valores e 10% nas quantidades.

No início do ano, apesar do crescimento na produção, a crise ameaçava o setor, porém ao decorrer do ano só houve crescimento e bons resultados.