Tecnologia revolucionária é apresentada em uma conferência da UIST 2017

Image result for UIST 2017

Pessoas que estão habituadas a jogar com o Nintendo Wii já estão mais abertas para tecnologias inovadoras que focam o controle gestual. Mesmo com algumas divergências apresentadas no desenvolvimento desta tecnologia ao longo dos anos, um produto promete ser responsável por eliminar o estigma de que esta tecnologia não é proveitosa e criar uma harmonia perfeita com outras tecnologias disponíveis.

A tecnologia rotulada como “revolucionária” permite fazer qualquer objeto do cotidiano transformar-se em um controle remoto. Você terá acesso a sua TV utilizando somente sua mão e seus dedos por exemplo, trocar de canal com uma xícara de café ou aumentar o volume da TV utilizando sua guitarra.

“Nosso método permite uma experiência muito mais fácil de controle remoto, pois você pode mudar canais sem ter que deixar sua bebida de lado, ou mudar sua posição, seja relaxando no sofá ou parado na cozinha seguindo uma receita. Você poderá até mudar o canal com seu gato de estimação”. , diz Cristopher Clarke, PhD da Escola de Computação e Comunicações da Universidade de Lancater.

Os desenvolvedores desta tecnologia são da Universidade de Lancaster e a tecnologia leva o nome de “Matchpoint: Spontaneous spatial coupling of body movement for touchless pointing”, que após traduzido fica: (Matchpoint: acoplamento espacial espontâneo do movimento do corpo para apontar sem toque). Os pesquisadores e desenvolvedores desta tecnologia apresentarão dados completos em uma conferência em Quebec no Canadá, a UIST 2017, que acontecerá nos dias 22 e 25 de outubro. As técnicas utilizadas por essa forma inovadora de tecnologia permitem uma maior interação entre movimentos, mesmo que seja o movimento de um objeto, podendo o usuário monitorar o controle das funções de um aparelho de TV com telas desenvolvidas para isso.

“O acoplamento espacial espontâneo é uma nova abordagem para o controle de gestos que funciona combinando o movimento em vez de pedir ao computador que reconheça um objeto específico”, diz Clarke.

O que difere esta tecnologia de outras tecnologias semelhantes e que não tiveram sucesso, é que ela necessariamente não precisa interagir com membros e outras partes do corpo do usuário. O algoritmo envolvido nesta tecnologia tem o foco no movimento rotativo, sendo dispensável a calibração ou a predefinição de objetos e pessoas.