Semente de abacate usada na produção de plásticos, anticancerígenos e remédios

Related image

Uma semente que é frequentemente jogava fora após o consumo que os pesquisadores da Sociedade Americana de Química alertam ser um desperdício. O caroço pode ser usado na produção de algumas substâncias com diversas aplicações da medicina. Os benefícios da fruta, já são conhecidos devido a sua grande quantidade de potássio e fibras e na colaboração da diminuição do colesterol e triglicerídeos no sangue, e recentemente, foi descoberto sobre a melhora cognitiva na meia-idade.

A proposta foi de usar toneladas de sementes que normalmente são desperdiçadas, que chegam a 5 milhões de toneladas, de acordo com a Organização das Nações Unidas pra a Alimentação e Agricultura na produção de medicamentos antivirais, plásticos, cosméticos e suplementos alimentares. Os produtores normalmente usam o caroço para extrair óleo, mas a casca é descartada. “É possível que as cascas das sementes de abacates sejam, na verdade, uma grande preciosidade, pois os componentes medicinais dentro delas podem eventualmente ser usados para tratar cânceres, doenças cardíacas e outras complicações para a saúde. Nossos resultados também sugerem que as cascas são uma fonte em potencial de substâncias usadas em plásticos e outros produtos industriais”, explica a participante do estudo Debasish Bandyopadhyay, da Universidade do Texas no Vale do Rio Grande, apresentado no Encontro e Exposição Nacional da Sociedade Americana de Química, em Washington.

Foi moído 300 cascas secas do fruto, que rendeu 595 gramas de pó para a equipe e foram transformados em 3 colheres de chá de óleo e 28 gramas de cera. A análise foi feita usando duas técnicas, a cromatografia gasosa e espectrometria de massa. Foram detectados 116 tipos de componentes químicos no óleo e 16 na cera que não são encontrados nas próprias sementes.

Foi encontrado ácido behênico, entre os óleos achados, que são utilizados em cosméticos e medicamentos antivirais como heptacosano que é utilizado para inibição de crescimento das células tumorais e ácido dodecanoico que ajuda no aumento do colesterol bom e reduz a ateroscleroses.

A substância encontrada na cera são usadas na fabricação de plástico, aditivos alimentares e cosméticos e a equipe conta que o trabalho agora é a manipulação de componentes que foram descobertos com a finalidade de otimização de seu uso como fabricação de remédios com efeitos colaterais menores.