Conheça mais sobre a trajetória de Luiz Carlos Trabuco até a presidência do Bradesco

No momento em que Luiz Carlos Trabuco assumiu o cargo de presidente do Bradesco, no início do ano de 2009, a empresa tinha perdido a liderança nesse setor para o seu principal concorrente, o Itaú Unibanco. Com uma postura quase sempre cuidadosa, o executivo não definiu como prioridade permanecer em primeiro lugar entre os bancos que atuam no país, trabalhando principalmente em prol do objetivo de realizar um trabalho de destaque em todas as cidades em que o banco está presente.

Desde que se tornou presidente da empresa, uma das estratégias mais ousadas de Luiz Carlos Trabuco foi a aquisição da filial do HSBC no Brasil, pelo montante de US$ 5,2 bilhões. Através dessa compra, o Bradesco voltou a reacender a disputa pela liderança entre os bancos privados, superando o Itaú Unibanco em três segmentos, a rede de agências, o número de correntistas, e também no total dos fundos de investimentos.

Na época da aquisição, o executivo declarou em entrevista à revista Istoé Dinheiro, que com as filiais do HSBC, a corporação conquistou o que demoraria aproximadamente seis anos para conseguir através do seu próprio crescimento orgânico. Essa jogada estratégica foi um dos fatores que levaram o executivo a ganhar o prêmio de Empreendedor do Ano em Finanças pela Istoé Dinheiro.

Natural de Marília, cidade em que o banco compartilha sua origem, Luiz Carlos Trabuco é formado pela Faculdade de Filosofia, Ciência e Letras da Universidade de São Paulo (USP) e iniciou sua carreira profissional no banco em 1969. Desde então, ele escalou os níveis de hierarquia da instituição com o trabalho árduo e de destaque que realizou ao longo dos anos.

Uma das razões que o levaram a presidência da instituição foi o trabalho que teve a frente do Bradesco Seguros, sua função entre os anos de 2003 e 2009. Atualmente, esse segmento cresceu e é responsável por nada menos que 30% do lucro total do banco. Como presidente, o executivo tomou a iniciativa de criar uma universidade corporativa, se esforçando para renovar de forma constante os quadros de liderança da corporação.

Além disso, Luiz Carlos Trabuco sempre buscou valorizar os profissionais da instituição, fazendo questão de reunir os funcionários que tinham recebido alguma promoção no Salão Nobre, o mais importante do banco, que é usado para as assembleias dos acionistas. Nessas reuniões, ele cedia a palavra a todos os participantes, incentivando os profissionais a compartilharem alguma mensagem, ideia ou posicionamento.

Outra característica do executivo era estar buscando constantemente por profissionais no mercado, sendo essa a forma como contratou Renato Ejnisman, atual diretor-executivo do BBI, cuja experiência foi formada em outras instituições como o BankBoston e o Bank of America.

Já em relação a rotina de Luiz Carlos Trabuco, ele é conhecido por iniciar o expediente antes mesmo das 7 horas da manhã, trabalhando nos escritórios do banco até as 18 horas. Porém, o executivo muitas vezes ainda dedica as suas noites ao trabalho, em reuniões e jantares de negócio, o que ressalta a sua grande dedicação e comprometimento pela função que ocupa.