As melhores cidades brasileiras para se morar na terceira idade

Resultado de imagem para cidades para terceira idade

As cidades pequenas se caracterizam pela tranquilidade e pela qualidade de vida que proporcionam a seus habitantes, principalmente para aqueles que já chegaram na terceira idade. Com uma maior expectativa de vida, é natural que os brasileiros acabem buscando, uma vida mais tranquila com o passar dos anos, na sua velhice.

O Brasil, que possui uma extensão continental, com cidades de diversos tamanhos e características diferentes, são encontradas 348 pequenas cidades, que têm uma população de 50 mil a 100 mil. Entre elas, quarenta se sobressaem por apresentar as melhores condições de vida, para as pessoas da terceira idade.

Essas cidades, foram avaliadas seguindo algumas variáveis, como os indicadores gerais, bem-estar, finanças, cuidados com a saúde, habitação, cultura e engajamento e educação e trabalho.

Outro fator levado em conta foi o clima, tirando pontos de cidades que tinham maior incidência de calor, chuvas intensas e baixas unidades do ar.

Quando ocorre uma maior participação dos habitantes que já estão na terceira idade, os procedimentos precisam ser diferentes na elaboração das políticas públicas, que são adotadas no município.

Com esses programas, não só os idosos são beneficiados, como também os outros habitantes, já que transformar as cidades tornando elas, mais acessíveis e com maiores recursos, levam benefícios para uma população inteira, além de atrair maiores investimentos para a cidade.

A cidade que foi considerada a melhor para os habitantes que chegaram na terceira idade, foi São João da Boa Vista (SP), com uma população de 88 mil habitantes.

O estudo revela, que fatores como o baixo número de mortes causadas por arma de fogo, além de 13 unidades para atendimento ambulatorial espalhadas pelos bairros, dois outros hospitais e ainda uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento), foram determinantes para a sua escolha.

A cidade está na 50º posição  no IDHM  (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal), e em uma pesquisa conjunta entre a Financial Times e a FGV, ela aparece entre as principais microrregiões paulistas na área da Saúde, ficando com o 6º lugar.

O prefeito da cidade, está pensando em contratar um grupo de pesquisadores, para fazer um estudo sobre a mobilidade urbana, já que o número de mortes por acidentes no trânsito, ainda é elevado.

Em uma parceria com o governo do Estado de São Paulo, a cidade está construindo um centro, que visa acolher idosos cujas famílias, não conseguem oferecer cuidados especiais durante o dia.

O estudo também mostrou, que das 40 melhores cidades para se viver com mais de 60 anos, 30 delas estão localizadas na região Sudeste, enquanto que nenhuma cidade da região Norte e Nordeste, apareceu na lista. O estado de São Paulo concentrou o maior número de cidades, foram 25 entre as mais bem avaliadas.

As melhores cidades foram: São João da Boa Vista(SP), Vinhedo (SP), Lins (SP), Fernandópolis (SP), Tupã (SP), Votuporanga (SP), Lajeado (RS), Itapira (SP), Rio do Sul (SC), Bebedouro (SP), Pato Branco (PR), Jaboticabal (SP), São José do Rio Pardo (SP), Paulínia (SP), Olimpia (SP), Videira (SC), Jaguariúna (SP), Mogi Mirim (SP), Batatais (SP), Avaré (SP), Matão (SP), Capivari (SP), Lavras (MG), Pirassununga (SP), Mirassol (SP), Taquaritinga (SP), Marechal Cândido Rondon (PR), Concórdia (SC), Alfenas (MG), São Roque (SP), Cruzeiro (SP), Ijuí (RS), Esteio (RS), Ibitinga (SP), Montenegro (RS), Itajubá (MG), Francisco Beltrão (PR), Cianorte (PR), Andradina (SP), Farroupilha (RS).