Pesquisadores alertam sobre antibióticos poderem desenvolver câncer de intestino

Resultado de imagem para antibioticos

Pesquisadores da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, revelaram que o consumo de antibióticos contribui para a formação de câncer colorretal. Esse tipo de câncer já foi associado a diversos fatores, como uma alimentação pobre em fibras e nutrientes, consumo de gorduras trans, obesidade, sedentarismo, doenças inflamatórias, tabagismo, e agora os tão usados antibióticos. O fato é que na maioria dos casos, o remédio industrial será bom para uma coisa, mas será ruim para outra.

Para chegarem a essa conclusão, os especialistas observaram e analisaram cerca de 16.500 mulheres com idade acima de 60 anos. Todas as voluntárias, haviam passado pelo exame de colonoscopia ao menos uma vez entre os anos de 2004 e 2010. O resultado apontou que 1.195 mulheres tiveram adenomas. Os adenomas são pequenas lesões no intestino, também chamado de pólipos, que são caracterizados como tumores benignos que antecedem o diagnostico de câncer de intestino.

A partir desses dados coletados com a ajuda das voluntárias, os pesquisadores puderam notar que algumas participantes fizeram o uso de antibióticos em determinado momento com período de dois ou mais meses. O resultado foi de que as voluntárias que utilizaram os antibióticos por, pelo menos, dois meses, apresentaram uma probabilidade de 69% em ter pólipos. Ou seja, elas tiveram o risco aumentado em 69% por utilizarem antibióticos por no mínimo dois meses.

O problema relativo ao uso de antibióticos deverá ser analisado por outras pesquisas, mas os especialistas já alertam que o uso contínuo desses medicamentos, podem acarretar em problemas ainda mais graves. Os pesquisadores ainda supõem de que alguns fatores para essa provável ligação, segundo eles, estão na função do medicamento. Os antibióticos são medicamentos especializados para atacar bactérias que causam alguma inflamação, no entanto, eles acabam atacando a microbiota intestinal do individuo, aumentando o risco do desenvolvimento de pólipos. O que a ciência tem como concreto é que a microbiota intestinal é fundamental na manutenção da saúde e na conservação dos órgãos intestinais, sendo assim, qualquer mudança, como o consumo de antibióticos, contribui para o aparecimento de tumores, tanto benignos quanto malignos.

Além desse fato importante, o consumo de antibióticos ainda contribui para um outro evento bastante grave, o desenvolvimento de superbactérias. As superbactérias são responsáveis pela morte de 700 mil pessoas todos os anos, e são encontradas em maior número nos hospitais. Vale lembrar também, que o uso moderado tem efeitos minimizados no aumento de risco de desenvolver o câncer de intestino e na evolução das superbactérias. A pior utilização é a demasiada. Mas o melhor de todos os medicamentos é a alimentação natural e orgânica, que associa somente os benefícios no combate e na prevenção de doenças, sem nenhum tipo de efeito colateral.

 

Veja mais sobre a alimentação orgânica.