Pesquisadores alertam sobre antibióticos poderem desenvolver câncer de intestino

Resultado de imagem para antibioticos

Pesquisadores da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, revelaram que o consumo de antibióticos contribui para a formação de câncer colorretal. Esse tipo de câncer já foi associado a diversos fatores, como uma alimentação pobre em fibras e nutrientes, consumo de gorduras trans, obesidade, sedentarismo, doenças inflamatórias, tabagismo, e agora os tão usados antibióticos. O fato é que na maioria dos casos, o remédio industrial será bom para uma coisa, mas será ruim para outra.

Para chegarem a essa conclusão, os especialistas observaram e analisaram cerca de 16.500 mulheres com idade acima de 60 anos. Todas as voluntárias, haviam passado pelo exame de colonoscopia ao menos uma vez entre os anos de 2004 e 2010. O resultado apontou que 1.195 mulheres tiveram adenomas. Os adenomas são pequenas lesões no intestino, também chamado de pólipos, que são caracterizados como tumores benignos que antecedem o diagnostico de câncer de intestino.

A partir desses dados coletados com a ajuda das voluntárias, os pesquisadores puderam notar que algumas participantes fizeram o uso de antibióticos em determinado momento com período de dois ou mais meses. O resultado foi de que as voluntárias que utilizaram os antibióticos por, pelo menos, dois meses, apresentaram uma probabilidade de 69% em ter pólipos. Ou seja, elas tiveram o risco aumentado em 69% por utilizarem antibióticos por no mínimo dois meses.

O problema relativo ao uso de antibióticos deverá ser analisado por outras pesquisas, mas os especialistas já alertam que o uso contínuo desses medicamentos, podem acarretar em problemas ainda mais graves. Os pesquisadores ainda supõem de que alguns fatores para essa provável ligação, segundo eles, estão na função do medicamento. Os antibióticos são medicamentos especializados para atacar bactérias que causam alguma inflamação, no entanto, eles acabam atacando a microbiota intestinal do individuo, aumentando o risco do desenvolvimento de pólipos. O que a ciência tem como concreto é que a microbiota intestinal é fundamental na manutenção da saúde e na conservação dos órgãos intestinais, sendo assim, qualquer mudança, como o consumo de antibióticos, contribui para o aparecimento de tumores, tanto benignos quanto malignos.

Além desse fato importante, o consumo de antibióticos ainda contribui para um outro evento bastante grave, o desenvolvimento de superbactérias. As superbactérias são responsáveis pela morte de 700 mil pessoas todos os anos, e são encontradas em maior número nos hospitais. Vale lembrar também, que o uso moderado tem efeitos minimizados no aumento de risco de desenvolver o câncer de intestino e na evolução das superbactérias. A pior utilização é a demasiada. Mas o melhor de todos os medicamentos é a alimentação natural e orgânica, que associa somente os benefícios no combate e na prevenção de doenças, sem nenhum tipo de efeito colateral.

 

Veja mais sobre a alimentação orgânica.

Presidente do BC, Ilan Goldfajn, afirma que Reforma da Previdência pode reduzir a taxa de juros – Confira com Marcio Alaor do BMG

“O Brasil é um dos poucos países do mundo com uma agenda de reformas intensa. Isso reduz a perspectiva de risco. Será importante para a sustentabilidade da inflação e a queda da taxa de juros estrutural da economia”. A frase sobre a reforma previdenciária foi dita pelo presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, em um evento do dia 18 de abril em São Paulo. Segundo ele, a Reforma é fundamental para o bom desempenho da economia brasileira à frente e pode levar à queda da taxa básica de juros no Brasil. Quem reporta o assunto é o é o vice-presidente do Banco BMG, Marcio Alaor.

Ilan Goldfajn afirma que o trabalho do Banco Central tem sido efetivo para combater a inflação. Marcio Alaor aponta que, de acordo com o presidente do BC, a taxa ficou em 10,7% em dezembro e caiu para 4,6% em março – o que Goldfajn chamou de “queda relevante”. Ainda conforme Ilan Goldfajn, as perspectivas de inflação do próprio mercado, por meio do Boletim Focus, encontram-se em torno de 4,1% para 2017 e de 4,4% para 2018 – 4,25% é o percentual para os outros anos. Já o Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) estima 4,1% para 2017 e 4,5% para 2018.

Para o presidente do Banco Central, haverá uma evolução favorável no cenário da inflação. “Em 2017, a taxa acumulada em 12 meses deve permanecer abaixo da meta”, afirma Ilan Goldfajn. O vice-presidente do Banco BMG, Marcio Alaor, sobressai que, levando em conta essa perspectiva, segundo Goldfajn, a taxa de juros cai para 8,5% em 2017.

Ilan Goldfajn ainda faz outras previsões destaca o vice-presidente do Banco BMG. O presidente do BC estima que, no terceiro trimestre do ano, a inflação chegará ao seu nível mais baixo. Contudo, voltará a ter força nos últimos meses de 2017 – ainda assim mantendo a previsão de terminar o ano abaixo do centro da meta do governo de 4,5%.

Quanto à taxa de juros real

O presidente do Banco Central salienta que as taxas de juros reais – que são os juros nominais menos a inflação, reporta Marcio Alaor, do BMG – também estão em queda no país. “Quando você olha uma taxa de juros pré-fixada em 12 meses, quando o governo financia em 12 meses, é uma taxa que hoje quando desconta a inflação chegou a alcançar, em setembro de 2015, 9%. A situação acalmou e ao longo de 2016 a taxa de jutos real caiu para 7%”, ilustra Goldfajn, que ainda acrescenta – “Os juros [reais] na economia estão hoje entre 4,5% a 5,3%”. Segundo ele, para patamares históricos, esse é um patamar baixo.

Ilan Goldfajn ainda enfatiza que é possível fazer mais, porém, “dependerá de avanços que levem à redução da taxa de juros estrutural da economia”. O vice-presidente do Banco BMG, Marcio Alaor reforça que, segundo o que aponta o presidente do BC, dependerá de eficiência, produtividade, reformas, perspetiva da política fiscal e qualidade das políticas econômicas. “Tudo isso vai nos ajudar a reduzir essa taxa estrutural, notadamente a reforma da previdência”, conclui Goldfajn.

 

Depressão também acomete crianças e adolescentes

 

Na nova série da Netflix, intitulada 13 Reasons Why, a personagem Hannah Baker suicida-se, depois de exteriorizar indícios de que alguma coisa não estava funcionando corretamente em sua vida. Mesmo cercada de pessoas, ninguém notava que a adolescente estava diferente.

De acordo com a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), a depressão, de forma geral, pode induzir a pessoa a frequentes desejos suicidas. Ainda segundo a Organização, esta patologia pode se manifestar em qualquer idade.

O diagnóstico, que já é complicado no período da adolescência, torna-se ainda mais difícil durante a infância pois as crianças, frequentemente, encontram mais dificuldades para externar os sentimentos. Para o médico psiquiatra Mario Louzã, que também é especialista em psiquiatria-geral pela Associação Brasileira de Psiquiatria, pais e educadores devem estar sempre alertas aos sinais físicos das crianças.

Segundo Louzã, “Diferente do adolescente, que tem capacidade verbal mais sofisticada e consegue se comunicar mais, a criança não é capaz de expressar sentimento de tristeza, desesperança e culpa, e nem tem vocabulário para isso. Por isso, é necessário ficar atento ao comportamento. Se a criança está mais parada, mais isolada, se não sorri, não brinca, não se diverte assistindo a desenhos animados na televisão, ou, às vezes se irrita ou fica nervosa sem razão aparente. Essas são formas indiretas de perceber que a criança não está bem”, explica o especialista.

De acordo com o psiquiatra, cerca de 2% da população que possui depressão no mundo é composta por crianças com, no máximo, 12 anos de idade. A ocorrência é bastante incomum antes dos quatro anos, porém, pode acontecer. Os adolescentes, com idades que variam entre 12 e 18 anos, totalizam 5%.

Louzã explica que os adolescentes até poderiam expressar com mais facilidade seus sentimentos, contudo, o mais recorrente é escondê-los.

Para o médico, o jovem não compreende que sensações como angústia e tristeza não deveriam estar presentes naquela fase. A resistência ocorre, pois, é uma época de autoafirmação. O adolescente depressivo não se encara como tal. Pode até conversar com os amigos próximos sobre seus sentimentos, todavia, é improvável que procure ajuda especializada. Além disso, como este período conturbado é marcado pelo excesso de irritabilidade e nervosismo, também conhecido como “aborrecência”, os pais e professores podem ter ainda mais dificuldades em perceber que o comportamento do jovem não está normal.

No último dia 7 de abril, lembrado por ser o Dia Mundial da Saúde, a Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou uma campanha sobre a depressão. O projeto, que possui o lema “Let’s Talk” (traduzindo em português: “Vamos conversar”), surge como mais uma ferramente na luta contra a prevenção e tratamento da depressão, visto que suas consequências podem ser gravíssimas. Ainda que de maneira leiga, programas de tevê como 13 Reasons Why, podem ser valiosos aliados. Ainda que não tragam situações verídicas, eles contribuem difundindo o tema, mas sem estigmatizá-lo.

 

 

Cientistas descobrem novo tratamento para o câncer de próstata 

Um novo tratamento criado por cientistas do Instituto Weizmann, de Israel, poderá revolucionar a luta contra o câncer de próstata. O tratamento é ainda mais eficaz na fase inicial da doença. É composto pela aplicação de um remédio conduzido por uma luz infravermelha diretamente na glândula enquanto o médio realiza o procedimento cirúrgico de remoção. O urologista brasileiro da Unicamp – Universidade Estadual de Campinas, Paulo Palma, revelou: “Alcançamos 80% de cura com uma única aplicação”.

O tratamento desenvolvido em Israel é altamente eficaz na cura da doença, e possui um mecanismo muito simples de ser realizado. Outro ponto bastante positivo sobre esse novo tratamento, é que ele não apresenta nenhum efeito colateral, nem mesmo após o tratamento. Os pacientes poderão usufruir de um tratamento que consegue altos índices de cura sem se preocupar com efeitos colaterais, como é o caso de muitos tratamentos ligados ao câncer. Palma declarou sobre a ausência de efeitos colaterais: “Isso é uma coisa muito rara de se ver em medicina”.

A nova técnica foi aprovada no país de origem, Israel, e também no México. Atualmente está em análise para ser aprovada em países da Europa e nos Estados Unidos. Aqui no Brasil, o tratamento está sendo utilizado como experimental, até que seja aprovado como tratamento efetivo da doença. Segundo Palma e diversos especialistas no assunto, o novo tratamento poderá revolucionar a forma de cura do câncer de próstata, alcançando uma taxa de cura muito mais eficaz, sem nenhum efeito colateral.

Essa nova opção de tratamento pode auxiliar no combate ao câncer de próstata no estado inicial, e até mesmo no estado mais avançado da doença, quando a castração já não é o suficiente. Sendo assim, o tratamento se torna uma esperança de cura até mesmo para os piores casos. Esses casos mais complicados compõem cerca de 20% dos diagnósticos de câncer de próstatas. O tumor evolui mesmo com a retirada da testosterona do organismo, que acontece por ato cirúrgico, portanto os índices de cura para a doença nesse estágio com os tratamentos que já existiam, eram muito baixo. A maioria dos pacientes morriam por causa da doença.

O remédio utilizado no tratamento se chama Radio 233, e ele age no combate as células doentes com o câncer que saem da glândula e acabam se depositando nos ossos, esse processo é também chamado de metástase. O oncologista do Hospital São José, Fernando Maluf, afirmou: “Nos estudos, ele diminuiu o número dessas complicações e aumentou a qualidade de vida dos pacientes”. Uma das maiores preocupações dos médicos em um tratamento prolongado, como é o de diversos tipos de câncer, é o efeito colateral que um determinado medicamento ou tratamento terá sobre o corpo do paciente. Os efeitos colaterais podem dificultar e até mesmo piorar o quadro da doença, dependendo de cada pessoa, por isso esse novo tratamento promete revolucionar a cura do câncer de próstata.

 

Veja também a cura do câncer através da alimentação.

 

Sergio Cortes noticia sobre a síndrome da dor fêmoropatelar

Essa é uma condição que acontece principalmente na região da patela e do fêmur. A Síndrome da Dor Fêmoropatelar (SDFP) ocorre em função de um desequilíbrio biomecânico na articulação do joelho, especificamente na articulação que se encontra entre o fêmur e a patela, informa o ortopedista Sergio Cortes. A síndrome atinge cerca de 25% da população, e é mais comum em mulheres que tenham hábitos sedentários e também em pessoas que praticam treinamentos de nível elevado.

Os especialistas ainda não conseguiram definir qual é a origem exata da doença, mas no geral, ela surge devido a um desgaste, sobrecarga ou impacto nos joelhos, ou seja, fatores que contribuem para o desequilíbrio da patela. São várias as causas que podem estar ligadas ao aparecimento da Síndrome da Dor Fêmoropatelar, como por exemplo, uma largura grande da região pélvica, joelho valgo, patela alta, falta de força nos músculos do quadril e da coxa, entre outros.

Ao dobrarmos o joelho, ocorre um aumento da pressão feita entre a patela e os diversos pontos de contato com o fêmur. Ao usar excessivamente o joelho, a pressão nesse local acaba sendo intensificada, o que promove um desgaste gradual, noticia Sergio Cortes. Por outro lado, a síndrome da dor fêmoropatelar também pode aparecer nas pessoas sedentárias nos casos em que existe uma sobrecarga ou quando o impacto do peso da própria pessoa é grande, o que aumenta as dores e agrava essa condição em si.

Entre os sintomas, o mais comum é a dor no joelho, que acontece entre a patela e o fêmur. Essa dor pode ser sentida também na parte anterior do joelho e na região de trás da coxa. Os indivíduos que desenvolvem a Síndrome da Dor Fêmoropatelar irão sentir as dores se agravarem ao subirem e descerem escadas, ao abaixar e saltar, e também ao permanecer sentado por muito tempo, como por exemplo, durante o período de duração de uma sessão de cinema.

Outros sintomas causados por essa condição são estalos ao andar ou correr e uma sensação de peso dentro da articulação. Caso a doença não seja tratada desde o início, o problema pode acabar evoluindo para uma rigidez e limitações articulares, reporta o ortopedista Sergio Cortes.

Exames físicos devem ser realizados com um médico ou fisioterapeuta especializado com o objetivo de avaliar as prováveis insuficiências da região, que acometem as estruturas articulares, além de testar os fatores que afetam a força e o alinhamento da articulação. O diagnóstico diferencial precisa ser feito para distinguir a síndrome de outras condições similares, como a tendinite e a condromalácia patelar.

O tratamento precisa ser definido a partir do que causa a dor no joelho, sendo na maioria dos casos conservador e baseado nas técnicas de Fisioterapia, informa Sergio Cortes. Para aliviar a dor, a Eletrotermofototerapia, que consiste no laser, gelo e terapia combinada, pode ser utilizada.

Esse tratamento tem como objetivo melhorar o deslizamento da patela sobre o sulco troclear no fêmur, e utiliza exercícios de fortalecimento dos músculos e correção biomecânica, noticia o ortopedista Sergio Cortes.

 

Fonte

 

Idoso inova criando aplicativo de descontos

Resultado de imagem para Permínio Moreira

Aos 68 anos, Permínio Moreira, está estreando um novo serviço na internet. O Ekko é um aplicativo cuja proposta é trabalhar com uma moeda própria para aquecer o mercado local. Com o dinheiro virtual, os usuários terão acesso a descontos de 5% até 70% nas suas compras.

Esse modelo de Startup pode ser uma ótima oportunidade para comerciantes efetuarem vendas em períodos de baixo movimento. Os descontos são os grandes motivadores para as pessoas aderirem ao serviço. Permino Moreira lucrará através de uma pequena comissão pelas vendas.

Logo ao se cadastrar, o usuário já adquire gratuitamente 200 Ekkos, como se chama a moeda virtual. No seu painel de usuário aparecerão comerciantes da sua região: Padarias, farmácias, restaurantes, dentre outros. O que sobrar de Ekko, o consumidor pode guardar para usar em outros estabelecimentos.

Perminio Moreira passou toda a vida sendo empreendedor. Já trabalhou vendendo salgados na rua, já foi um empresário de maquinas agrícola (perdeu tudo na era Color), já foi dono de uma confecção e atualmente é dono de uma franquia dos correios e três restaurantes, que deixou os filhos no comando.

Ideia

O empresário disse que tirou a ideia dos programas de fidelidade oferecidos pelas operadoras de cartão de crédito. Segundo ele, esses programas são frustrantes. Porque o usuário vai acumulando pontos, e demora muito para usufruir deles. Por causa disso,Permino começou a idealizar o negócio, por volta de 2011.

Ekko esta funcionando desde fevereiro desse ano. Sua abrangência ainda é restrita a Moema, Zona sul de São Paulo, e Vila Linda em Santo André. O objetivo esse ano, é que o serviço esteja disponível em todas as maiores capitais do país.

 

Aderência

A maior dificuldade nesse negócio é a aderência e confiança dos comerciantes a um modelo inédito para eles. Segundo especialistas, é necessário criar casos de sucesso para usar como exemplo aos estabelecimentos e usuários.

A página de apresentação possui uma interface intuitiva e de fácil orientação. Mostra que o poder de compra de um usuário pode subir até 30%, assim como deixa visível que um comerciante terá grande visibilidade, podendo fazer ofertas e promoções exclusivas.

O sistema funciona de forma bem simples. Quando o usuário realizar uma compra em uma das lojas cadastradas. Será solicitado a ele o seu CPF e a sua senha Ekko. Dessa forma os valores pagos em reais serão convertidos em unidades Ekkos, que podem ser utilizadas em outros estabelecimentos.

Essas moedas adquiridas não podem ser usadas na mesma loja da compra. Dessa forma todos saem ganhando. As unidades Ekko, possuem uma validade de 90 dias para serem utilizadas na rede conveniada.

Um grande incentivo, é que para ganhar a moeda, não é necessário usar algum tipo de pagamento em especifico. O usuário pode consumir como ele já faz habitualmente, não importando se for com cartão crédito, débito, dinheiro ou cheque.

 

Já estão a venda os ingressos para a Campus Party Brasília

Image result for Já estão a venda os ingressos para a Campus Party Brasília

 

Já estão à venda os ingressos para a Campus Party Brasília que ocorrerá no mês de junho. O evento destinado aos aficionados por tecnologia, inovação e cultura Geek chega pela primeira vez na capital. Acompanhe mais sobre o evento.

A feira acontecerá entre os dias 14 e 18 de junho, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. Os ingressos começaram a ser vendidos no início de abril e vão até o dia 30. A Campus Party é considerada a maior feira de tecnologia e inovação do mundo com 5 dias de palestras, debates, games, oficinas sobre temas como inovação, ciências, empreendedorismo, entre outros.

Ingressos

Os ingressos podem ser adquiridos no site oficial da Campus Party por diferentes preços. O ingresso simples que dá acesso aos 5 dias de evento custa R$ 150; a entrada mais o camping e barraca sai por R$ 220; o ingresso com camping duplo está sendo vendido por R$ 230. É bom se apressar porque os valores são referentes ao primeiro lote e os preços podem aumentar ao longo do mês.

A primeira atração já confirmada é o americano Matthew F. Reyes, que ministrará a palestra “A exploração DIY na Terra, no espaço e além”. Mattew foi consultor da Nasa e trabalhou já atuou em um projeto para levar uma câmera GoPro para o espaço.

Entre as áreas e zonas do evento estão:

Software Livre

Games

Simulação

Astronomia e Espaço

Design

Foto e Vídeo

Música

Modding e Eletrônica

Robótica

Social Media

Desenvolvimento

Segurança e Redes

Histórico da Campus Party

A primeira edição da CP aconteceu em 1997 na Espanha. A partir daí , o evento passou por diferentes países como Inglaterra, Colômbia, Equador e muitos outros.

No Brasil, a Campus Party é realizada desde 2008 em São Paulo e desde 2012 em Recife. Em 2017 Brasília e Salvador vão receber o festival pela primeira vez. A última edição realizada aqui foi em São Paulo, no início do ano e celebrou a 10 edição produzida no país.

Já participaram da CP nomes como ex-vice presidente dos Estados Unidos Al Gore, o co-fundador da Apple Steve Wozniak, o presidente e diretor executivo da Linux Jonh Maddog Hall, o escritor brasileiro Paulo Coelho, o humorista Rafinha Bastos, entre outras celebridades e pessoas de referência em diferentes campos.

Felipe Montoro Jens noticia sobre a importância das PPPs para o Brasil

No decorrer dos últimos 40 anos, o Brasil apresentou um crescimento considerável na área de investimentos em infraestrutura, mas ainda assim o País possui um importante déficit na quantidade e qualidade de seus ativos públicos, especialmente na chamada “infraestrutura social”, informa Felipe Montoro Jens. Os setores que mais precisam receber investimentos são: saúde, educação, saneamento básico e mobilidade urbana.

Para solucionar essas questões, são necessários enormes volumes de recursos financeiros, os quais o Brasil não conta atualmente. Nesse cenário, as Parcerias Público-Privadas (PPPs) destacam-se como uma ótima alternativa. Desde o ano de 2004, com a Lei 11.079/04, após muitos debates e discussões com empresários, legisladores e a sociedade, foi criado o marco regulatório das PPPs, possibilitando parcerias entre o setor público e a iniciativa privada.

Desde que passaram a ser utilizadas, as PPPs têm contribuído para diminuir o déficit de infraestrutura do País, principalmente nos setores de transporte e saneamento básico, noticia Felipe Montoro Jens. Contudo, mesmo que a quantidade de PPPs tenha crescido nos últimos anos, esse tipo de parceria ainda não alcançou nem de perto seu potencial, capaz de realmente mitigar o déficit infraestrutural do Brasil.

Muitas são as razões pelas quais as PPPs não se proliferaram conforme o planejado. Uma importante razão para isso, por exemplo, é o fato de que as garantias contratuais devidas pelo setor público, de modo a manter em dia os pagamentos de suas obrigações (as chamadas contraprestações), ainda são frágeis e pouco seguras do ponto de vista jurídico. Sem tal garantia devidamente estruturada, o ente privado fica muito exposto ao risco de recebimento das contraprestações, que será devido por diferentes governantes ao longo do prazo da concessão da PPP (i.e., 15, 20, 35 anos). Esse é um obstáculo que precisa ser aperfeiçoado e superado para que os mecanismos estabelecidos sejam respeitados e funcionem durante os vários anos e décadas previstos nos contratos de PPP.

Outros países da América do Sul como Peru, Chile e Colômbia possuem uma legislação mais sólida acerca das PPPs, o que possibilita o aumento e o desenvolvimento desse tipo de parceria, reporta Felipe Montoro Jens.

Um outro aspecto importante a ser trabalhado para o aumento das PPPs no Brasil é o volume de recursos públicos destinados a tais parcerias. Sem um aumento dos limites constitucionais atualmente impostos para os gastos dos entes públicos (União, Estados e Municípios) com o pagamento das contraprestações da PPP, não é possível alavancar tantos projetos quanto os necessários para o desenvolvimento da infraestrutura. Uma alternativa, por exemplo, seria a utilização de recursos dos Fundos setoriais, como o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), onde os recursos poderiam ser aplicados às PPPs, sem interferir no limite de endividamento dos entes públicos.

A diminuição, ou mesmo isenção, de impostos para as PPPs também seria um fator capaz de impulsionar esse modelo de parceria no Brasil. Atualmente, cerca de 30 a 40% do montante pago pelos parceiros privados no investimento da infraestrutura e no recebimento das contraprestações retorna aos entes públicos na forma de cobrança de tributos, noticia Felipe Montoro Jens, encarecendo muito os projetos.

Tanto para o governo como para a sociedade brasileira, as PPPs são vantajosas, pois funcionam como um eficiente instrumento na melhora dos serviços públicos a serem oferecidos. Ganha o governo (que reduz e difere seus gastos por muitos anos), ganha o ente privado (que se beneficia do aumento da produtividade na administração de bens públicos) e ganha a sociedade (que recebe e utiliza ativos públicos mais modernos, mais eficientes e com melhor atendimento).

Caso fossem feitos alguns ajustes e melhorias nas atuais regras das PPPs, chegando-se a um melhor entendimento entre o ente público e os parceiros privados, os resultados obtidos com as PPPs seriam capazes de melhorar, consideravelmente, a infraestrutura do Brasil, reporta Felipe Montoro Jens.

 

Executivo da Uber discute com motorista e pede desculpas

 

Image result for Travis Kalanick

De acordo com a revista Bloomberg, o CEO da Uber, Travis Kalanick discutiu com um motorista funcionário da empresa ao ouvir críticas sobre as políticas de preço do aplicativo. Ao enviar uma carta de desculpa para o mesmo site que publicou a notícia, o executivo afirmou que ainda tem muito a crescer.

De acordo com a reportagem, Travis teria perdido a paciência ao ouvir inúmeras críticas a tabela de preços desenvolvida pela Uber para o aplicativo. A revista conseguiu um vídeo feito dentro do carro. Durante a viagem o condutor faz inúmeras acusações, e Travis discorda de todos os pontos.

No vídeo podemos ver Travis acompanhado de duas mulheres, os três estão sentados no banco de traz de um Uber Black. A viagem é até tranquila, mas ao final dela o motorista, Fawzi Kamel, começa a fazer varias reclamações em relação às tarifas que são cobrados do consumidor pela Uber.

De acordo com o motorista, a Uber estaria tornando o padrão cada vez mais alto para se tornar um condutor do aplicativo, encarecendo os cuidados com o automóvel. Mas ao mesmo tempo os preços pagos pelo consumidor estão ficando mais baratos.

O lado positivo disso, é que o uso do aplicativo tem se tornado mais democrático, principalmente depois que a Uber começou a aceitar pagamento em dinheiro. Porém alguns motoristas dos Estados Unidos têm reclamado que o lucro teria diminuído.

O vídeo termina com Travis saindo do carro gritando com o motorista. Travis teria finalizado o conflito afirmando que algumas pessoas não assumem responsabilidade pelas próprias ações.

Depois que a notícia foi publicada, a repercussão internacional foi imediata. Alguns dias depois, Travis enviou um e-mail para alguns funcionários do aplicativo. No e-mail ele pede desculpas, afirmando que ainda tem muito a evoluir como ser humano, e que está envergonhado de suas ações.

De acordo com o CEO, existe uma concorrência, já que aplicativos similares estão barateando seus serviços. A redução de preços foi necessária para que a Uber continue a bater de frente com o mercado atual.

O motorista afirma ter tido um prejuízo de aproximadamente US$ 97 mil dólares no último ano. Ele também disse durante a discussão que a empresa faz mudanças diariamente, e que apesar de terem um esquema de negocio nas mãos, decidiram criar modalidades diferentes para satisfazer todas as classes sociais. “Vocês estão dando carona pra todo mundo”, afirmou Kamel.

Apesar de a modalidade UberX ter democratizado o uso do aplicativo, alguns afirmam que ele deixou de ser exclusivo.

 

Estudo revela que contato físico é importante para o desenvolvimento cerebral dos bebês

Um novo estudo realizado pelo Nationwide Children’s Hospital in Columbus, localizado nos Estados Unidos, revelou que o contato entre os pais e o recém-nascido é extremamente fundamental para o bebê conseguir moldar o cérebro ao responderem a estímulos do toque. O estudo concluiu que o toque dos pais proporciona maiores conexões do cérebro do bebê em relação aos aspectos sociais e emocionais que ele terá de lidar quando for mais velho.

A autora do estudo e médica neonatologista, Nathalie Maitre, alegou sobre o estudo: “Nossas descobertas acrescentam à nossa compreensão que uma maior exposição a esses tipos de toque pode realmente impactar como o cérebro processa isso”.

O estudo foi desenvolvido através de uma análise de 125 bebês. Dentre eles estavam bebês que nasceram prematuros, com 24 a 36 semanas de gestação, e bebês que nasceram dentro do período esperado, entre as 38 e 42 semanas de gestação. Todos eles foram submetidos a um teste em que os colocavam em contato com uma espécie de rede macia composta por 128 eletrodos capazes de registrar a resposta dos cérebros dos pequenos referentes a cada sopro suave que recebiam na pele. O sopro foi o método adotado pela estudiosa, pois é um toque tão suave que não poderia causar nenhum tipo de dor aos bebês.

Os resultados apontaram que os bebês que nasceram prematuros, consequentemente passaram por um cuidado muito maior e uma atenção redobrada dos pais, apresentaram uma resposta bem mais forte e consciente ao toque do que os bebês que tiveram o parto dentro do prazo e não receberam tanto contato físico dos pais.

Com a pesquisa, ficou entendido que o cérebro infantil consegue responder aos estímulos suaves de toque. Sendo assim, a médica também conseguiu identificar que os bebês podem diferenciar as texturas do toque, ou seja, eles sabem quando o toque é da pele dos pais ou quando é de um objeto. Por meio do toque, eles ainda conseguem distinguir a pele da mãe, do pai, ou do irmão.

Nathalie afirmou: “O toque realmente parece fazer diferença”. Ela ainda explicou: “E isso é extremamente encorajador porque, se você é pai de um bebê na unidade de tratamento neonatal, muitas vezes se sente fora de controle. Mas é importante saber como cada vez que tocar seu filho fará diferença para a formação dele”.

Outras pesquisas já haviam identificado que os recém-nascidos absorvem diversos estímulos sensoriais ao longo dos primeiros meses, sendo que esses estímulos são capazes de moldar o desenvolvimento dos pequenos. O toque, por exemplo, acaba sendo uma maneira que o bebê encontra de interagir com o ambiente externo e de se comunicar com os pais.

Portanto, a médica aconselha que o toque suave dos pais com os bebês deve ser uma prática constante de amor e carinho. Um ato de trocar uma fralda pode significar muito mais para o recém-nascido do que os pais imaginam, e a consequência disso é um desenvolvimento muito melhor dos bebês em diversos aspectos.

Veja também, estudo revela que bebês já nascem falando.