Túnel de escape em prisão no RS: Policiais descobrem plano de fuga e frustram planos de presidiários

Policiais intervieram em um plano de fuga engenhoso no Presídio Central de Porto Alegre. Se o esquema continuasse com sucesso, a estimativa era de uma fuga em massa de líderes de uma facção criminal e outros detentos.

Uma casa, aparentemente em obras, a poucos metros de distância do presídio, escondia uma passagem subterrânea que levaria a uma das celas dos criminosos. O túnel tinha 47 metros de dimensão, e foi escavado a 4 metros abaixo do solo. Faltava percorrer uma distância de 20 metros até chegar no perímetro do presídio.

A estrutura, foi elaborada com estacas de prevenção contra desmoronamento e ventiladores para auxiliar durante o laborioso processo de escavação. O esquema foi financiado por líderes de uma determinada facção criminal, que seriam os primeiros a serem resgatados durante a fuga. Em seguida, mais de 200 homens já estariam inclusos no número de pessoas com passaporte livre de saída. Porém durante a investigação, foram descobertas espécies de “leilões de fuga”, onde outros prisioneiros também teriam acesso à passagem subterrânea em troca de dinheiro. Se o plano funcionasse, mais de mil detentos poderiam passar pela passagem e fugir do presídio.

Embora o trabalho foi de grande magnitude, a vizinhança não se apercebeu do que estava se passando na casa. Agentes da Polícia Civil começaram as investigações 3 meses antes, aos arredores do presídio, porém as movimentações na casa nos últimos 3 dias reforçaram as suspeitas da fuga. Durante as buscas, uma mulher e 7 homens foram apreendidos e seguem sob custódia e interrogatório.

O delegado Rafael Pereira comentou e engenharia do túnel subterrâneo:

“Nos chamou a atenção a estrutura, iluminação completa do início ao fim do túnel. Nós estimamos ter ultrapassado 50 metros em direção ao presídio. Chama a atenção a estrutura montada, com ventiladores, recolhimento de areia…”

As atividades já estavam sendo monitoras, porém a Polícia decidiu a hora certa de agir.

“Filmamos um carro chegando com geladeira, fogão e sofá. E nós fizemos uma reunião urgente de equipe e chegamos à seguinte conclusão ‘quem investe mais, quer retorno mais rápido’. Se eles estão colocando geladeira e fogão para dentro aquele dia a dia de trabalho – que iniciava às 9h e acabava às 18h – provavelmente eles passariam a morar na casa e estariam se intensificando”

No total, foram gastos mais de um milhão de reais na construção do túnel, segundo dados da Polícia Civil.

O delegado Mario Souza ainda completou:

“O Denarc [Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico], conseguiu hoje frustrar, com certeza, a maior fuga que seria realizada no Rio Grande do Sul, e os criminosos perigosos não vão mais conseguir fugir do Presídio Central. A quadrilha está presa”.

Segundo o CJN (Conselho Nacional de Justiça), o presídio Central, ou Cadeia Pública de Porto Alegre encontra-se entre as prisões analisadas com condições deploráveis e sub-humanas.

Fonte