Agência Heads de Claudio Loureiro é uma das que mais crescem no Brasil

Com quase 30 anos desde que foi criada pelo publicitário Claudio Loureiro, a agência Heads Propaganda iniciou sua trajetória na cidade de Curitiba. Atualmente, a empresa conta com escritórios em outras três grandes cidades, São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro, e se destaca por ter um capital exclusivamente nacional. Com mais de 200 funcionários em suas filiais, a agência é considerada uma das maiores no ramo da publicidade e propaganda no Brasil, tendo já trabalhado com grandes marcas como O Boticário, Positivo, Unimed e muitas outras.

Trajetória de sucesso

Depois de obter sucesso em Curitiba e conquistar um nome respeitado no ramo publicitário, Cláudio Loureiro decidiu que a Heads Propaganda já poderia começar a se expandir por outras grandes cidades brasileiras, dando início ao crescimento da agência pelo país. Como grande conhecedor e admirador da cultura popular, o publicitário está sempre investindo em expandir a empresa de forma conectada a esse meio, como exemplo, em 2013, a agência teve uma participação importante na elaboração do show “A Night with Janis Joplin”, que teve sua exibição nos principais locais do mundo, incluindo a Broadway.

O crescimento e o sucesso obtidos pela empresa nos anos seguintes fizeram com que a agência e Claudio Loureiro fossem premiados em eventos no Brasil e no exterior, destacando-se principalmente os prêmios que foram conquistados nas cidades de Londres, Cannes, Nova York e Berlim, que representam o grande prestígio que a agência adquiriu durante os seus quase 30 anos de existência. Em razão disso, a Heads está entre as empresas de publicidade que mais vem crescendo nos últimos anos, sendo considerada a 23ª companhia do Brasil que teve o maior crescimento no ano de 2014.

Aumento da equipe

Um dos pilares da Heads Propaganda são os seus funcionários, os quais são profissionais de grande renome e qualificação, principais responsáveis pelo crescimento da agência no mercado. Por esse motivo, Claudio Loureiro da Heads acaba de contratar para a sua equipe dois nomes muito reconhecidos no meio publicitário brasileiro, com o objetivo de continuar a desenvolver um trabalho de grande qualidade.

Um desses nomes é Erick Machado, escolhido para comandar os escritórios da empresa em São Paulo, onde a gente você tem o intuito de continuar se expandindo nos próximos anos. Erick, que já foi diretor geral de atendimento da Talent, tem um MBA em Marketing em seu currículo e possui uma experiência de mais de duas décadas no ramo, já tendo trabalhado em grandes agências e desenvolvido trabalhos para grandes marcas nacionais.

A segunda grande contratação na Heads feita por Claudio Loureiro foi a do redator Paulo Lima, escolhido para trabalhar na sede da empresa em Brasília. O escritório, que é comandado por Saulo Angelo, possui uma equipe de profissionais de alta qualificação, que já foram responsáveis pela criação de várias campanhas de destaque, como é o caso da peça “Saudade”, desenvolvida em parceria com a Caixa Seguradora, que conquistou o importante prêmio El Ojo TNT, motivo de grande orgulho para Claudio Loureiro e a Heads Propaganda.

Os relacionamentos que 2016 roubou

O ano de 2016 foi um ano marcado por términos de relacionamentos no mundo do famosos. Mas qual a razão de tantos fins? Simples, as pessoas se esforçam apenas no começo, onde tudo são flores, beijos e abraços. Não se esforçam para fazer o relacionamento ser duradouro, pois é mais fácil terminar uma relação e partir para outra, do que tentar se adaptar ao parceiro. Namoros e casamentos de fachada, onde o casal mal se olha e se toca mais posta uma foto bonitinha em uma rede social, com uma frase apaixonada. Os relacionamentos já não são motivados pelo amor, mas por paixão passageira, graças a uma geração rápida e fria. Depois do término a maioria dos casais se comporta como se o outro fosse de fato um inimigo de uma vida inteira. Se esquece rapidamente das qualidades do outro que tanto o cativaram, esquece do frio na barriga que teve no primeiro encontro, uma geração que sofre de amnésia. Uma geração que vive em dúvidas e que se deixa levar por momentos. O ano de 2016 levou embora amores que pareciam perfeitos, amores que tinham tudo para durar uma vida inteira. Amores que já tinham até gerado frutos. O amor se foi como se nunca tivesse estado. E qual a graça de se trocar uma pessoa, como quem troca uma roupa? Qual a graça de assistir a um filme sozinho no sofá? Qual a graça de se estar só? É óbvio que para se atingir a felicidade completa é preciso se bastar, mas também é óbvio que ter alguém com quem compartilhar a vida faz bem. Alguém que te ame, te aceite, te respeite. Um relacionamento deve ser uma troca, uma troca de olhares, uma troca de afeto. Do que vale conquistar fama, ter dinheiro e bem-sucedido, estar cercado de mulheres/homens se no final do dia ninguém vai te esperar? Ou do que vale ter alguém te esperando se dentro do coração não existe amor? Existe apenas comodidade. Um relacionamento deve somar e jamais subtrair. Deve te acrescentar e nunca te diminuir. O mal dessa geração rápida é abandonar o barco na primeira correnteza, antes mesmo de chegar no lugar lindo que esse rio chamado relacionamento pode levar. Dias ruis e problemas todo mundo tem, mas é ai que a cumplicidade é testada. Namoro, casamento é muito mais que fotos em redes sociais, o mundo seria um lugar melhor se as pessoas se esforçassem mais para ser na vida real o que elas se esforçam para ser por de trás das câmeras, no facebook e no instagram. É tão lindo e rejuvenescedor amar. Amar o que tem por dentro. Que 2017 traga os amores que 2016 roubou.

 

América Latina sofre com pessoas acima do peso

obesidade

Um relatório da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO, por sua sigla em Inglês), revelou que 63% da população com mais de 18 anos está acima do peso no Chile. Esse número representa a maior taxa da América do Sul, tendo logo em seguida a Venezuela, com 62,3%, e Uruguai, com 61,7%.

O “Panorama da Segurança Alimentar e Nutricional na América Latina e no Caribe” acrescenta que, em toda a região, 360 milhões de pessoas estão acima do peso, ou seja, 58% da população. Os maiores problemas estão nas Bahamas, com 69%, e México, com 64%.

O estudo também constata que existem 140 milhões de pessoas com obesidade, cerca de 23% do total.

A FAO, em conjunto com a Organização Pan-americana de Saúde (OPAS), também mencionou o impacto da obesidade em mulheres em toda a região, uma vez que a taxa feminina com este problema seja superior em 10 pontos a taxa dos homens, informou o portal Emol, que acrescentou que esta dificuldade abrange 7,2% das crianças menores de cinco anos.

Entre os fatores que explicam esta situação incluem, de acordo com especialistas, o alto custo de alimentos saudáveis, a disponibilidade de alimentos ultraprocessados e maus hábitos que são adquiridos desde a infância. “O crescimento econômico, aumento da urbanização, o rendimento médio das pessoas e da integração da região nos mercados internacionais têm reduzido o consumo de preparações tradicionais e aumentado o de produtos ultraprocessados de consumo”, disse o relatório.

 

Neste sentido, Eve Crowley, representante da FAO no Chile, definiu a questão como “um fenômeno preocupante” devido ao aumento dos números. No entanto, ele reconheceu que isso “reduziu o número de pessoas com fome que sofrem de desnutrição na região.” Por isso, avaliou que “mais esforços para ter sistemas alimentares sensíveis à nutrição, com base em métodos de produção sustentáveis” e “políticas de Estado a longo prazo” são necessários.

Enquanto isso, Paloma Cuchi, da OPAS, disse que com “medidas preventivas” não existiriam esses “sistemas de saúde que entraram em colapso”. “Muitas das condições

Luciana Lóssio integra o Conselho de Direitos Humanos

A advogada Luciana Lóssio, foi apontada no ano de 2011 para ocupar o cargo de ministra substituta do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e dois anos após assumir o cargo, Luciana Lóssio se tornou ministra concreta do órgão. No final de 2014 foi convidada a integrar o Conselho de Direitos Humanos.

Em novembro de 2014, o ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Ricardo Lewandowski, indicou o nome que representaria o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), para integrar o Conselho Nacional dos Direitos Humanos (CNDH). A indicada para ocupar este cargo foi a ministra do TSE, Luciana Lóssio. Com a indicação, a ministra revelou que a intituição a qual passou a fazer parte é um orgão extremamente relevante na atuação e defesa dos direitos humanos no Brasil. A ministra ainda ressaltou que fazer parte desta instituição será uma experiência proveitosa, pois lhe dará a chance de cooperar com a garantia e crescimento dos direitos humanos do povo brasileiro.

O Conselho Nacional dos Direitos Humanos é uma instituição que tem como foco promover e assegurar os direitos humanos. De modo que visam evitar e reparar toda ou qualquer situação que ameacem os direitos humanos de qualquer cidadão brasileiro. O órgão realiza seus trabalhos com o intuito de defender todos os grupos sociais e as pautas dos mesmos, que na maioria das vezes também são defendidas pelo CNDH. As principais causas defendidas por este órgão são crianças, adolescentes, pessoas idosas e com alguma deficiência, fim do trabalho escravo, defesa da liberdade sexual, entre outras.

Luciana Lóssio figura pública já conhecida por defender o reconhecimento e fortalecimento feminino no Brasil, e principalmente por batalhar o espaço da mulher brasileira na política, passou a compor o Tribunal Superior Eleitoral em outubro de 2011, passando a ser a primeira mulher a ocupar uma das duas vagas da instituição disponibilizadas para juristas. Em 2013, ao se tornar ministra efetiva da casa, Carmen Lúcia, presidente do TSE na ocasião e atualmente presidente do Supremo Tribunal Federal, aclamou o fato.

Este fato foi comemorado não só por Carmen Lúcia, como por muitas mulheres, pois com Luciana Lóssio tomando posse, o Tribunal naquele momento passou a ter um número maior mulheres ocupando o cargo efetivo de juízes, já que no total sete ministros ocupam o cargo, e a ministra ao assumir se tornou a quarta mulher a deter este cargo naquele momento. A presidente do STF ainda ressaltou que a diminuição da representatividade de gênero na ocupação de cargos políticos, principalmente os de alto escalão, acontece graças ao crescimento das mulheres cursando o ensino superior. A cerimônia em que aconteceu a posse, contou com inúmeras autoridades da área, como políticos, ministros e pessoas ligadas a área jurídica.

A ministra tem experiência em assuntos da área eleitoral e sempre ressaltou a importância de órgãos como o TSE para o bom funcionamento e ampliação das questões políticas no país. Já atuou na defesa de governadores em campanhas eleitorais federais, além de lecionar Direito Eleitoral, área em que é especialista. A ministra é bacharel em direito, inscrita na OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) desde 1999.