Novas imagens dos anéis de Saturno são reveladas pela Nasa

aneis de saturno

Astrônomos descobrem detalhes nunca antes visto em anéis de Saturno, através de imagens divulgadas pela Nasa. A missão Cassini foi responsável pela captura das imagens, que começou no mês de novembro de 2016, onde se aventurou pelos anéis de Saturno, conseguindo capturar imagens muito próximas dos anéis do planeta. As características capturadas, tem dimensão de 550 metros, o que na Terra seria uma altura equivalente a um dos mais altos prédios, mas que em dimensões astronômicas, é um tamanho relativamente muito pequeno.

As imagens foram divulgadas no próprio site da missão Cassini, onde astrônomos de todo o mundo puderam finalmente ver alguns detalhes que jamais tinham visto antes em qualquer uma das imagens dos anéis de Saturno. O primeiro detalhe tem o nome de palha, ou straw, em inglês, nome dado a aglomeração das partículas nos anéis. E o segundo foi a constatação de hélices, ou propellers, que são pequenas luas flutuando nos anéis gelados do planeta.

Um dos cientistas da missão, Matthew Tiscareno, disse: “Esses closes representam a abertura de uma janela completamente nova para a observação dos anéis de Saturno e, durante os próximos meses, esperamos dados ainda mais interessantes, à medida em que treinamos as câmeras em outras partes dos anéis, mais próximos do planeta”. Tiscareno se mostra entusiasmado com a possibilidade de outras novas descobertas do planeta.

A missão Cassini teve seu lançamento no ano de 1997, com a finalidade de entender mais sobre Saturno, bem como seus anéis e seu campo magnético. Chegou, finalmente ao planeta em 2004, e a partir dali somou 300 mil imagens registradas do planeta. Dentre as imagens, foi revelado as sete luas existentes em Saturno, a descoberta de tempestades grandiosas no planeta e de evidências que apontam para a possível existência de lagos composto por metano em uma de suas luas, a Titã. Porém, a maior evidência coletada a partir das imagens foi a possibilidade de haver um oceano na lua Enceladus, e consequentemente, poder haver vida em uma das luas de Saturno.

A sonda ainda continua a registrar diversas imagens pelos anéis e pelos polos do planeta, sendo que em abril de 2017, a Nasa pretende levar a missão Cassini mais além, por entre os anéis mais internos que compõem o planeta. Essa será uma observação muito mais próxima da região, onde será possível ver mais detalhadamente a composição dos anéis, e até mesmo poder identificar como e quando se formaram. Dentre as observações, a missão ainda tem planos para visualizar melhor as duas luas menores do planeta, a Atlas e a Pandora. Então finalmente, irá colidir com Saturno a fim de terminar a missão, sendo a primeira sonda a chegar tão perto do planeta, exatamente a 1.628 quilômetros das nuvens do planeta. Essa distância tão pequena, permitira entender como funciona o campo gravitacional e o campo magnético do planeta gasoso.

 

Veja as imagens reveladas dos anéis de Saturno.