Duelo de titãs marca a final do Aberto da Austrália 2017

Aproximadamente cinco anos depois, os titãs Roger Federer e Rafael Nadal se enfrentaram na final do Aberto da Austrália, em partida ocorrida no último dia 29. O aberto da Austrália, marca o primeiro Grand Slam do ano e podemos presenciar esses grandes esportistas considerados os melhores tenistas do mundo.

A final foi conquistada por Federer por 3 sets a 2, em uma partida equilibrada e cheia de emoção em jogo que durou cerca de 3h34min. A partida foi disputada na capital australiana, Melbourne, na Rod Laver Arena. Com o último set sendo muito disputado, Federer conseguiu reverter o resultado no segundo match point, onde se sagrou campeão.

Esse foi o 18º título e a quinta vez que Federer é campeão do Aberto da Austrália, se tornando o maior campeão da história do tênis.

Esse duelo entre Federer e Nadal marca a 35º vez que os dois se enfrentam e somando o número de conquistas de ambos, tem um total de 32 títulos em quadra.

Atualmente Roger Federer ocupa o 17º lugar no ranking mundial, enquanto Rafael Nadal ocupa o 9º lugar. Federer não conquistava um título fazia cerca de 5 anos e vencer o seu grande adversário na final, deu um gosto a mais ao fim do jejum. Essa grande final, contrariou a opinião de muitos, já que os dois tenistas estão na casa dos 30 anos.

O embate entre os dois tenistas, foi o de nono embate em finais em que os dois se enfrentaram em um Major. Os Majors, são grandes torneios com altas premiações e são considerados os principais torneios do tênis. Um dos mais famosos torneios é Roland Garros, onde Federer já conquistou 1 título em 2009.

Rafael Nadal e Roger Federer, eram cotados como “zebras” por parte dos especialistas, por estarem com idade “avançada”, o descreditado foi enorme perante os dois tenistas. A atenção da mídia estava voltada para os favoritos Andy Murray e Novak Djokovic, ambos 1° e 2º do ranking mundial, respectivamente.

A conquista do Aberto da Austrália por parte de Federer, acabou sendo emocionante para que assistiu ao embate, quanto para o tenista. Por contrariar tudo que foi dito anteriormente e acabar com o jejum que o cercava fazia cinco anos, desde Wimbledon, onde conquistou seu último título. O dia 29 de janeiro de 2017 será sempre lembrado por Federer como um marco para sua carreira.