Febre Amarela : Uma nova ameaça?

Desde a última sexta-feira (13), o Brasil vem despertando um estado especial de atenção relacionado à saúde; isto devido à notícia de mais de 23 mortes e outros casos relacionados à Febre Amarela (doença infecciosa febril aguda transmitida por mosquitos), em Minas Gerais, sendo investigados pelo Ministério da Saúde, segundo o site g1.com.br.

A doença recebe este nome por provocar amarelidão do corpo (icterícia), o que aumenta o risco de insuficiência renal, e hemorragia em diversos graus.

aedes

O vírus, comumente encontrado na América do Sul e na África, é tido como tropical e provoca sintomas como febre, náuseas, dores musculares e de cabeça, perda de apetite e dores nas costas.

É importante lembrar, porém, que a transmissão da doença se dá apenas pelo mosquito infectado; portanto, não há risco de contaminação ou transmissão de pessoa para pessoa.

Até o momento, os casos foram registrados em regiões rurais ou de mata, transmitidos pelos mosquitos Haemagogus ou Sabethes – que gosta de áreas urbanas. Ainda não foi detectada a transmissão da doença pelo Aedes aegypti, mais famoso pela dengue, zika e chikungunya.

É possível que a epidemia chegue às grandes cidades, tendo em vista que uma pessoa infectada em zona rural poderá ir para uma cidade e, desde que seja picada por um mosquito Aedes aegypti, o inseto poderá transmitir para outras pessoas.

Para aqueles que vão viajar para regiões silvestres, rurais ou de mata é importante atentar para sua imunização, haja vista que o risco de contaminação é bem maior.

O Ministério da Saúde recomendou a imunização para todas as pessoas que residem em Áreas com Recomendação da Vacina. Obtendo 95% de eficácia, e leva em torno de 10 dias para assegurar a imunização, portanto, para quem pretende viajar para áreas de risco, é bom se programar; já para os idosos, é crucial ir ao médico para avaliar os riscos de receber a imunização.

Apesar dos constantes casos registrados no Brasil, outros cuidados, além da vacina, outras medidas de proteção individual devem ser levadas em consideração: o uso de calças e camisas de manga longa e de repelentes contra insetos. Fiquem atentos!