Contando carneirinhos: Sergio Cortes dá dicas de como travesseiros e colchões corretos ajudam numa boa noite de sono

Nada pior do que uma noite mal dormida. O corpo sente, a mente fica cansada e a produtividade durante o dia fica lá embaixo.

 

Depois das atividades diárias, um bom sono recupera e regenera nosso corpo. Se esse processo natural é interrompido de alguma maneira, nossa imunidade cai, os níveis de energia diminuem e o resultado: Falta de concentração durante o dia e desânimo. Pior ainda, durante a noite atingimos vários estágios do sono. Os mais profundos, dependendo do estado de relaxamento do corpo, podem não ser alcançados, resultando em um repouso fragmentado e raso.

 

Além da sonolência depois de uma noite assim, o corpo submetido a esse tipo de tratamento vez após vez, pode começar a apresentar riscos de doenças cardiovasculares, diabetes, vários tipos de infecções, além de obesidade. Sim, o risco é bem mais sério do que aparenta ser!

 

Pensando nas possíveis causas para dores diversas depois de uma noite de sono mal dormida, o Doutor Sergio Cortes, médico ortopedista, que ganhou o título de Embaixador para a Década do Osso pela OMS (Organização Mundial de Saúde) em 2002, reporta que uma das razões pode sim estar ligada ao tipo de colchão ou travesseiro utilizado.

 

Problemas na coluna, nos ombros, ou até mesmo dor de cabeça sem razão aparente, podem surgir dependendo dos modelos escolhidos.

 

No caso do travesseiro, segundo o ortopedista, o modelo errado pode resultar em torcicolo e dores incomodas nos ombros e coluna. Durante a noite, nossa cabeça fica muito tempo em uma mesma posição. Se essa posição, durante a noite gerar desconforto, o resultado pode ser, segundo o Doutor Sergio Cortes, desde uma dor de cabeça leve, até problemas mais graves como má circulação sanguínea.

 

O ideal, segundo ele, é deixar o pescoço alinhado à coluna ao deitar no travesseiro. Ajustes no tamanho também resolvem a maioria dos problemas. O ideal é trocar a cada 2 meses, principalmente se começar a apresentar manchas amareladas.

 

Já em relação ao colchão, a questão pode ser ainda mais séria. Câimbras, desvios na coluna, dores no corpo, formigamento, irritabilidade e má circulação são apenas alguns dos vários problemas que podem resultar do uso do colchão incorreto.

 

O Doutor Sergio Cortes reporta que o colchão deve ser confortável em todos os sentidos. O ideal, segundo ele, é um colchão que acomode todo o corpo de maneira que, nenhuma parte fique sobrecarregada. O corpo deve ficar alinhado, relaxado e sem sofrer incômodos. O Ideal é trocar de colchão a cada 8 anos.

 

Segundo Sergio Cortes, o ideal é procurar um especialista em qualquer situação que venha a afetar o bem mais precioso de cada um: Seu próprio corpo. Seja por causa da má postura, ou por conta do colchão ou travesseiro errados, um médico especialista na área pode avaliar a causa e indicar as alterações necessárias.

 

O Doutor Sergio Cortes, é graduado pela Universidade Souza Marques, com especialização e pós-graduação nos Estados Unidos, Alemanha e Argentina. Além disso, foi o ortopedista oficial da Seleção Brasileira de Vôlei Masculino Adulto, da Federação Internacional de Vôlei e do Comitê Olímpico Brasileiro.